Mudar para visual padrão

Escritório no Brasil
+55 19 3800-3500

0

Povoando a terra de ninguém da gestão de peças de reposição

Autor: Stijn Wouters, consultor administrativo da Gordian

Quase todos os setores de produção e serviços têm alta demanda quanto ao tempo de atividade dos ativos. A fim de minimizar o tempo de parada de um ativo, a manutenção deve ser executada, e isso significa ter as peças de reposição certas em estoque. No entanto, especificamente nos ativos de capital intensivo, a manutenção regular e apropriada pode custar caro. Pense nos custos de armazenamento de estoque associados ao capital de giro de peças de reposição, nos custos operacionais de transporte e depósitos e nos custos transacionais incorridos no departamento de compras.

Stijn Wouters

A terra de ninguém

A gestão de peças de reposição é um ingrediente-chave da gestão de ativos, mas nem sempre é considerada como tal. Nossa experiência mostra que a gestão de peças de reposição é um "problema" enfrentado por muitos mas assumido por poucos ou, às vezes, não assumido por ninguém. As operações se preocupam apenas com a disponibilidade dos ativos, enquanto o Financeiro cuida somente dos custos de armazenamento de estoque. O Departamento de Compras quer reduzir sua despesa, e o gerente de estoque tem dificuldade de administrar todas as peças de reposição que entram e saem diariamente.

A solução integral de equilibrar a disponibilidade de peças de reposição, capital de giro e os custos da cadeia de abastecimento pode melhorar significativamente a gestão de peças de reposição e a disponibilidade dos ativos nas empresas.

Classificação de peças de reposição

Uma vez que nem todas as organizações e os respectivos desafios são idênticos, a descoberta desse equilíbrio não é um processo "pronto". Diferentes estratégias de gestão de peças de reposição têm diferentes focos em diferentes subclassificações de peças.

Figura 1. Classificação de peças de reposição com estratégias diferenciadoras

Este modelo classifica cada peça de reposição individual com base em sua frequência de demanda e preço unitário. Peças de reposição baratas e de consumo rápido são geralmente gerenciadas por exceção e pela definição de altos níveis de disponibilidade em estoque. Ao não intervir muito nesse segmento, os planejadores de peças de reposição podem economizar um tempo que pode ser investido em partes mais difíceis do portfólio de peças de reposição – ou seja, peças críticas, caras e de consumo lento.

A abordagem para essas peças críticas, caras e de consumo lento se encaixa mais na gestão de riscos. Todas as partes interessadas (compras, gestão de materiais, engenharia e produção) estão envolvidas e tomam decisões conjuntas referentes a estoque. Estatísticas e modelos avançados de inventário não são mais aplicáveis. O agrupamento de peças de reposição pode ser uma solução ideal também para economias de escala.

Estudo de caso: NedTrain

Essa abordagem diferenciada foi implementada, de forma prática, na NedTrain, a organização que realiza a manutenção das ferrovias holandesas. Eles não possuíam um controle de peças de reposição mas, juntos com a Gordian, reduziram o estoque em 50% e melhoraram a disponibilidade do estoque. Para garantir que esse expressivo resultado não fosse perdido, a NedTrain decidiu, em primeiro lugar, indicar um planejador da cadeia de abastecimento e, em segundo lugar, receber apoio estrutural dos Serviços de Planejamento da Gordian.

Com esse serviço contínuo, os resultados do projeto de redução de estoque serão devidamente assegurados. Desde então, o valor do estoque foi reduziu ainda mais, enquanto a disponibilidade permanece em níveis consistentemente altos. A NedTrain, em parte devido ao programa de Serviços de Planejamento, agora é flexível e ágil o bastante para responder à dinâmica da organização e reassumir o controle total.

Figura 2. Resultados do serviço de planejamento de peças de reposição entregue na NedTrain

Parceiros sul-africanos

Com a Pragma, a Gordian está ingressando no mercado sul-africano. Como se trata de uma terra de ninguém, primeiro é necessário algum treinamento. No entanto, a quantidade de oportunidades mostra que a África do Sul está pronta para a otimização das peças de reposição. Diversas análises rápidas foram conduzidas, bem como avaliações de processo de negócios, workshops completos e até mesmo cursos de treinamento sobre a gestão de peças de reposição.

Talvez você esteja cada vez mais atento aos problemas e desafios da gestão de peças de reposição. Nossa abordagem diferenciada e prática pode render significativas melhorias para você, nessa área.