Mudar para visual padrão

Escritório no Brasil
+55 19 3800-3500

0

Metodologia RCM

(Eficiência Operacional e Gestão de Ativos Produtivos)

 

RCM (Reliability Centered Maintenance) é uma metodologia aplicada para planejamento e execução da engenharia de manutenção e gestão de ativos físicos (produtivos), que foi desenvolvido inicialmente na indústria aeronáutica americana e, posteriormente, adaptado para diversas outras indústrias de aviação civil, óleo, gás, nuclear e outros processos industriais de diversos segmentos.

A metodologia:

As corporações de classe mundial são aquelas que buscam a excelência nos serviços produtos de seu “core businees”. Para buscar esta excelência, as corporações perseguem sempre inovações e procuram estarem na vanguarda da aplicação de novas tecnologias em seu processo produtivo e, principalmente, na gestão do seu maior patrimônio, que são os seus colaboradores sejam externos (fornecedores, parceiros) e ou internos (colaboradores). Estas empresas buscam, ainda, na área da engenharia de manutenção, os resultados de desempenho dos seus processos produtivos para garantir ganhos em produtividade e qualidade, simultaneamente a uma redução de custos de manutenção. Desta forma, a manutenção passa a ser considerada como uma função estratégica na corporação, que agrega valor para o acionista. O que podemos definir atualmente, e ou desde 2004 como: “Gestão de Ativos Físicos (e ou produtivos), focados na excelência operacional; já alinhados com a PAS 55/ISO 55.000, publicada em Janeiro de 2014.” pelo BSI – “Britch Standard Institute”.

Dentre outras metodologias internacionais (dos EUA, Japão, Europa e Sul Africanas), adotadas por corporações de classe mundial, como forma de garantir a sua competitividade, está prática da metodologia do RCM (Reliability Centered Maintenance) – Manutenção Centrada em Confiabilidade. A metodologia RCM, como é mais usualmente conhecida, é usada para determinar os requisitos de manutenção de qualquer ativo físico e/ou (produtivo), no seu contexto operacional. Para isso, a metodologia analisa as funções e parâmetros de “performance”: de que forma acontece à falha, o que causa raiz de cada falha, o que acontece quando ocorre a falha e o que deve ser feito para preveni-la. Como resultado, obtém-se aumento da disponibilidade, o que permite um aumento de produtividade. A metodologia RCM teve sua origem na década de 60, na indústria aeronáutica dos EUA. Desde então, vem sendo aplicada com sucesso por muitos anos, primeiramente na indústria aeronáutica e, mais tarde, nas usinas nucleares, geração hidro e termo elétricas, refinarias de petróleo, plantas offshore, aviação civile outras indústrias dos mais variados segmentos.

A metodologia RCM, é um processo usado para determinar o que deve ser feito para assegurar que qualquer ativo produtivo, continue a fazer o que seus usuários querem que ele faça no seu contexto operacional presente, com máxima eficiência operacional produtiva. Para ser implementada, a metodologia utiliza algumas indagações sobre cada ativo produtivo em revisão ou sob análise crítica, para que seja preservada a função do processo produtivo.

RCM vai direcionar o novo planejamento do programa de engenharia da manutenção, de modo a se estabelecer o nível de desempenho ótimo por quem aplica a metodologia. Os questionamentos básicos da metodologia RCM podem ser desenvolvidos, a saber:

  • Identificar os ativos e processos da planta que serão submetidos à metodologia do RCM;
  • Decidir quais ativos são mais prováveis de se beneficiarem do processo RCM e, se assim for, exatamente como eles irão se beneficiar, na avaliação da criticidade para o processo produtivo.

Definir as funções e parâmetros e metas de desempenho a atingir

Antes que a metodologia RCM determine o que deve ser feito para assegurar que o ativo físico continue a fazer o que os seus usuários querem que ele faça, no seu contexto.

Operacional atual deve-se fazer duas coisas:

  • Determinar o que o usuário quer que ele faça – Desempenho Desejado;
  • Assegurar que ele é capaz de fazer o que os seus usuários querem fazer – Capabilidade intrínseca - ou seja, ter a capacidade tecnológica processual produtiva.

Cada item físico tem funções que podem ser classificadas em:

  • Funções primárias: são as funções que justificam porque o item foi adquirido. Esta categoria de função cobre questões tais como de velocidade, quantidade, capacidade de transporte ou armazenagem, qualidade do produto e serviços ao cliente.
  • Funções secundárias: são funções reconhecidas e desejadas para que o item faça além das suas funções principais. Os usuários também têm expectativas nas áreas de segurança, controle, conforto, economia e outras mais.

Benefícios obtidos com metodologia - RCM

Os ganhos obtidos pela prática da metodologia RCM - Manutenção Centrada em Confiabilidade são vários, e podem ser listados abaixo:

  • Maior Segurança e Proteção Ambiental: no conjunto de benefícios do RCM, a segurança operacional e a integridade do meio ambiente são os principais benefícios obtidos com a metodologia. Estes benefícios são resultados das informações geradas pelo RCM, para identificar todos os possíveis riscos de falha nos equipamentos.
  • Desempenho Operacional Melhorado: o desempenho operacional é melhorado porque os gestores do programa têm informações técnicas para escolher melhores práticas de manutenção para garantir uma maior disponibilidade dos equipamentos no sistema produtivo. O aumento da disponibilidade dos equipamentos pode ser visto também como uma redução no tempo de reparo.
  • Melhor eficácia da Manutenção: com as informações técnicas obtidas pelo RCM, os gestores do programa podem adotar as melhores práticas de manutenção, para garantir que os recursos investidos na manutenção tenha o melhor retorno (ROI).

Considera-se que o RCM aplicado corretamente aos sistemas de manutenção existentes reduza de 30% a 70% a quantidade do trabalho de rotina (redução de HH) e intervenções de emergência na planta e entre 10 e 30%, do total de tarefas de manutenção e gestão de ativos produtivos

  • Vida útil dos ativos: a adoção das melhores práticas de manutenção garante que o equipamento faça tudo o que o seu usuário quer que ele faça, e que ele fique por mais tempo disponível no seu contexto operacional. O resultado desta manutenção garante que cada componente do equipamento receba a manutenção necessária para cumprir a sua função, garantir uma vida mais longa do equipamento.
  • Banco de dados: os registros gerados pelo RCM proporcionam a obtenção de um excelente banco de dados para uso tanto pela manutenção como pela operação, estes dados fornecem informações para: identificar as necessidades de habilidades da equipe de manutenção, decidir qual a melhor política de estoques de peças sobressalentes e manter os fluxogramas dos processos, desenhos e manuais atualizados.
  • Equipes – Motivação: as pessoas ficam mais motivadas para o trabalho quando participam da análise e soluções dos problemas. A metodologia RCM promove esta integração, quando reúne equipes multifuncionais para o analise e solução de problemas. isto aumenta o grau de comprometimento e compartilhamento de toda corporação na busca pela melhor solução.
  • Ganho Social: Com isso, os recursos naturais para as atividades industriais serão usados mais racionalmente, sem desperdício, e os possíveis acidentes com agressão ao meio ambiente serão evitados.

Conclusão:

Corporação de classe mundial é aquela corporação capaz de competir no mercado globalizado, buscando os melhores níveis de desempenho no atendimento às demandas de seus clientes, isto reflete uma empresa com alta qualidade de produto e serviços, custos competitivos, instalações confiáveis, alta disponibilidade do processo produtivo, respeito ao meio ambiente e alto índice de segurança. Uma empresa só será reconhecida como corporação de classe mundial se todos os seus departamentos também forem de classe mundial. O departamento de engenharia da manutenção nesta empresa está organizado para minimizar os custos da não eficácia no sistema produtivo, contribuindo desta forma, para a competitividade dos produtos e serviços ofertados pela corporação.

Para minimizar os custos da não eficácia, os departamentos de manutenção, nas corporações de classe mundial, buscam a melhoria continua dos seus processos, simplesmente aplicando as melhores práticas conhecidas de gerenciamento da engenharia da manutenção e gestão de ativos físicos (produtivos), dentre as quais a metodologia do RCM é de grande importância neste processo de melhoria continua dos processos, assim como outras metodologias internacionais de excelente eficácia comprovadas mundialmente com diversos “cases” publicados.

Nas corporações de classe mundial, intervenções para manutenção nos ativos produtivos; são vistas como uma oportunidade de se aumentar a produtividade, disponibilidade e a confiabilidade dos processos. Com estas questões, manter a disponibilidade das máquinas com confiabilidade operacional, passou a ser um dos fatores que contribuem para uma maior competitividade das empresas, em mercados cada vez mais globalizado.

Jorge

Jorge L. Videira
Diretor Comercial Pragma